Nearshoring na Colômbia: Investimento Passa de US$ 1 Bilhão em 2 Anos

Os investimentos das empresas que escolheram o nearshore na Colômbia ultrapassaram US$ 1 bilhão em pouco mais de dois anos. Isso, alegadamente, aconteceu após a atual administração começar a promover fortemente o nearshore na Colômbia, levando 60 empresas a estabelecerem operações no país desde o início de 2020.

Uma fotografia de um banco de imagens de Bogotá para um artigo sobre nearshoring na Colômbia.
Bogotá, a capital da Colômbia

Nearshoring é o processo de empresas que movem cadeias de valor – especialmente instalações de produção – para mais perto de sua base de origem. É mais freqüentemente usado para se referir a empresas americanas e canadenses que deslocam elementos de suas operações da Ásia para a América Latina, porém pode significar qualquer esforço similar de realocação.

Em geral, o nearshoring é parcialmente empreendido como uma resposta ao aumento dos custos de produção na Ásia, bem como para aliviar parte da dependência dos mercados asiáticos que governos e empresas da América do Norte e Europa desenvolveram nos últimos anos. 

No entanto, também proporciona às empresas a conveniência de ter operações baseadas mais perto de casa, o que significa que os trabalhadores estão em fusos horários semelhantes e as distâncias para os mercados de produtos manufaturados são muito menores.

VEJA TAMBÉM: Passos para formar uma filial na Colômbia

Segundo um relatório de La Republica, desde que o governo colombiano começou a promover o nearshoring na Colômbia em 2019, o país atraiu um total de USD 1,072 bilhões em investimentos de 60 empresas previamente identificadas como sendo fortes perspectivas de escolha de nearshore para o país.

Isso representa pouco mais de um terço das 165 empresas que alegadamente demonstraram interesse ativo em nearshoring na Colômbia, dentre mais de 900 contatadas pelo órgão de promoção de investimentos ProColombia – o que sugere que um investimento significativamente maior poderia ser feito em um futuro próximo.

“A Colômbia tem se destacado na região por manter a estabilidade política e instituições sólidas. Além disso, sua localização estratégica no meio das Américas posiciona nosso país como o melhor ponto para o fornecimento regional de bens e serviços em toda a América Latina, oferecendo às empresas uma logística competitiva”, disse Flavia Santoro, presidente da ProColombia, citada por La Republica.

Segundo o relatório, entre as 60 empresas que iniciaram o processo de nearshoring ou assinaram contratos e se comprometeram com nearshore na Colômbia, os setores mais comuns representados são agroindústria, produção química, ciências da vida e metalurgia.

Citada por La Republica, María Claudia Lacouture, diretora executiva da Câmara Americana de Comércio de Colombo, fez questão de ressaltar as condições favoráveis oferecidas às empresas que consideram a nearshoring na Colômbia.

“O mais recente relatório do Departamento de Estado dos Estados Unidos sobre o clima de investimentos destaca a Colômbia como um destino ideal para atrair capital que oferece condições ideais para empresas já localizadas e para aquelas que procuram se realocar ou investir no país”, ela foi citada como tendo dito.

Nearshore Colombia: país destino ideal para nearshoring na América Latina

Enquanto o México tende a ser o primeiro nome na boca das pessoas quando se trata de empresas americanas que se aproximam de cadeias de valor para a América Latina – graças em grande parte à proximidade e aos fortes laços econômicos entre os dois países – a Colômbia também é um forte candidato que oferece uma série de benefícios para as empresas que se realocarem para lá.

Um mapa do Biz Latin Hub da Colômbia com as principais cidades para um artigo sobre Nearshoring na Colômbia.
Um mapa da Colômbia mostrando as principais cidades

Como declarado por Santoro, a localização geográfica da Colômbia no ponto de encontro entre a América do Norte e a América do Sul, lhe dá vantagens logísticas particulares, particularmente se as fontes primárias de bens em outras partes da América do Sul forem necessárias para a fabricação ou produção.

O país também possui grandes portos que servem os oceanos Atlântico e Pacífico, proporcionando fácil acesso aos mercados da América do Norte, Europa e Ásia-Pacífico, enquanto os voos diários regulares entre as principais cidades da Colômbia e dos EUA significam que os dois países estão a apenas algumas horas de distância para viagens de negócios.

Como Santoro também destacou, a Colômbia tem gozado de prolongada estabilidade econômica e política, tendo sido liderada por governos eleitos continuamente desde os anos 50. Enquanto enfrenta desafios similares a muitas economias em desenvolvimento em termos de corrupção, a Colômbia também se orgulha de instituições comparativamente sólidas.

Isso foi destacado nas Declarações de Clima de Investimento de 2021 do Departamento de Estado dos EUA: Colômbia, publicado em novembro de 2021, que declara:

“Os sistemas legais e regulátórios da Colômbia são geralmente transparentes e consistentes com as normas internacionais”. O país possui uma estrutura legal abrangente para negócios e investimento estrangeiro direto (IED)”.

Esse mesmo relatório também destaca o trabalho realizado na Colômbia para promover os negócios e o investimento estrangeiro direto (IED), incluindo o desenvolvimento de mercados de capital eficientes. 

Como o relatório afirma, isso se deve em parte a uma série de reformas de liberalização econômica introduzidas nos anos 90, bem como ao sucesso do país em reduzir a ameaça que os grandes centros urbanos representam para os grupos armados irregulares.

O país é também um grande aliado dos Estados Unidos e da União Européia, com o presidente americano Joe Biden recentemente designando a Colômbia como um “grande aliado não-OTAN” em uma marca dos estreitos laços políticos e econômicos entre os países.

O sucesso visto na atração de empresas para nearshore na Colômbia vem em um momento em que o nearshoring na América Latina está recebendo crescente atenção e apoio. 

Em janeiro, o Presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) Mauricio Claver-Carone anunciou que a instituição está oferecendo ajuda para financiar transferências de cadeias de valor para empresas comprometidas com o nearshoring na América Latina.

“Não estou [só] falando de nearshoring, pensando apenas nos Estados Unidos, mas também na Espanha”. Se há empresas espanholas que investiram sua cadeia de valor na China ou em outros países asiáticos e querem transferir essa cadeia para a América Latina, o BID a financiará. Acredito que os europeus estão começando a ver isto como uma oportunidade”, disse ele na ocasião. 

Biz Latin Hub pode auxiliá-lo a fazer negócios na América Latina

Na Biz Latin Hub, fornecemos serviços integrados de entrada no mercado e back-office em toda a América Latina e Caribe, com escritórios em 17 grandes cidades da região.

Nosso portfólio inclui contabilidade e tributação, formação de empresas, due diligence, contratação e PEO, e serviços jurídicos corporativos. Nossa inigualável presença regional significa que estamos em uma posição ideal para apoiar entradas no mercado multijurisdicional e operações transfronteiriças.

Entre em contato conosco hoje para saber mais sobre como podemos ajudá-lo.

Se você encontrou este artigo sobre nearshoring na Colômbia de interesse, talvez queira verificar o resto de nossa cobertura deste país sul-americano. Ou leia sobre nossa equipe e autores especializados.

Principais serviços oferecidos pelo Biz Latin Hub

As informações fornecidas aqui não devem ser interpretadas como orientação ou aconselhamento formal. Consulte um profissional para sua situação específica. As informações fornecidas são apenas para fins informativos e podem não abranger todas as leis, padrões e práticas recomendadas pertinentes. O cenário regulatório está em constante evolução; as informações mencionadas podem estar desatualizadas e/ou podem sofrer alterações. As interpretações apresentadas não são oficiais. Algumas seções baseiam-se nas interpretações ou pontos de vista de autoridades relevantes, mas não podemos garantir que essas perspectivas serão apoiadas em todos os ambientes profissionais.
Craig Dempsey

Craig Dempsey

Craig é um profissional de negócios experiente na América Latina. Ele é o Diretor Geral e Co-Fundador do Grupo Biz Latin Hub que é especializado na entrada no mercado de fornecimento e serviços de back office. Craig é formado em Engenharia Mecânica, com honras e mestrado em Gerenciamento de Projetos pela Universidade de Nova Gales do Sul (University of New South Wales).

Craig é também um veterano militar, tendo servido no exército australiano em numerosas missões no exterior e também um ex-executivo de mineração com experiência em várias jurisdições estrangeiras, incluindo, Canadá, Austrália, Peru e Colômbia.

Receba as últimas notícias e conselhos sobre como expandir seus negócios globalmente
Assine a nossa newsletter para receber as últimas notícias e conselhos de negócios sobre formação de entidades, conformidade de entidades legais, contabilidade, back-office e requisitos fiscais.

Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.