Quais são as leis trabalhistas em Porto Rico?

Navegar pelas complexidades do mercado latino-americano exige mais do que apenas um plano de negócios – exige uma compreensão abrangente das nuances locais, inclusive das leis trabalhistas em Porto Rico.

Estar ciente das leis trabalhistas em Porto Rico é fundamental para entrar no mercado com sucesso. Desde o salário mínimo até as horas de trabalho e os benefícios, as empresas estrangeiras precisam ter um conhecimento abrangente das regulamentações trabalhistas do território.

Neste artigo, vamos nos aprofundar na importância de entender as leis trabalhistas em Porto Rico para estabelecer uma presença comercial bem-sucedida e compatível na região.

Veja também: Constituição de empresas em Porto Rico

leis trabalhistas em Porto Rico
As leis trabalhistas em Porto Rico determinam os bônus de Natal e muito mais

Porto Rico segue as leis trabalhistas dos EUA?

As leis trabalhistas em Porto Rico são regidas pelas normas trabalhistas dos EUA e pela Constituição de Porto Rico. Essa estrutura legal defende o direito dos funcionários de escolher sua profissão, garantir um salário mínimo justo, manter um dia de trabalho padrão de oito horas e obter remuneração adicional por tarefas que ultrapassem esse limite.

Qual é a lei de folga remunerada em Porto Rico?

Em Porto Rico, os funcionários recebem 15 dias de férias anuais. Ao completar um mínimo de 130 (cento e trinta) horas de trabalho por mês, todo funcionário se torna elegível para o acúmulo de férias.

A taxa de acumulação de férias varia: começando com meio (1/2) dia no primeiro ano de serviço, aumentando para três quartos (3/4) de um dia do segundo ao quinto (5) anos de serviço, chegando a um (1) dia após o quinto ano até o décimo quinto (15) ano de serviço e culminando em um e um quarto (1 1/4) dias após o décimo quinto (15) ano de serviço.

Qual é a Lei 80 em Porto Rico?

Em Porto Rico, os funcionários não têm o status de “at-will”, o que significa que não podem ser demitidos a qualquer momento, por qualquer motivo.

Para os empregadores de Porto Rico, surgem desafios únicos em comparação com outras regiões dos EUA, pois as leis locais priorizam os direitos dos funcionários. A demissão de um funcionário exige evidências substanciais de justa causa para evitar o risco de fornecer uma indenização substancial, conhecida como “una mesada”, que pode se assemelhar a um pacote de indenização aprimorado. Isso inclui um mínimo de dois meses de salário, juntamente com uma indenização adicional com base no tempo de serviço.

Os possíveis motivos para rescisão em Porto Rico incluem:

  • Histórico documentado de comportamento inadequado ou desordeiro.
  • Instâncias tangíveis de desempenho de trabalho abaixo da média (eficiência, qualidade, etc.).
  • Violação de regulamentos razoáveis por escrito.
  • Fechamento da empresa.

Compreender essas complexidades das leis trabalhistas em Porto Rico é fundamental para as empresas que operam no país.

Principais diretrizes

  • Período de experiência de emprego
  • Horas de trabalho
  • Horas extras em Porto Rico
  • Licença médica
  • Licença maternidade

Período de experiência do funcionário: O período de experiência ocorre automaticamente sem a necessidade de um acordo por escrito. Ele tem duração de até nove (9) meses para funcionários não isentos e pode ser estendido para doze (12) meses para funcionários isentos, incluindo executivos, administradores e profissionais, conforme definido pelos regulamentos relevantes.

Horas de trabalho: Em Porto Rico, um dia de trabalho padrão consiste em oito horas, enquanto uma semana de trabalho regular consiste em quarenta horas.

Horas extras em Porto Rico: Se seus ganhos ultrapassarem o salário mínimo em Porto Rico, você tem o direito de receber um mínimo de 1,5 vezes o seu salário por hora padrão por qualquer hora extra trabalhada. Em Porto Rico, uma taxa única de horas extras é definida como o dobro do salário regular por hora para qualquer hora trabalhada que exceda 8 horas em um dia ou 40 horas em uma semana.

Licença médica: Para se qualificar para o acúmulo de licença médica, os funcionários são obrigados a completar um mínimo de 115 horas de trabalho por mês. Isso se traduz em uma média diária aproximada de pouco menos de 5,5 horas ou cerca de 28 horas por semana. Os trabalhadores que atingem esse limite de horas têm direito a ganhar um dia de licença médica remunerada para cada mês de emprego. É importante ressaltar que a utilização da licença médica contribui para o cumprimento do requisito mínimo de 115 horas para o acúmulo de licença médica nos meses subsequentes.

Licença maternidade: De acordo com a Lei nº 3, uma funcionária grávida normalmente tem o direito de tirar uma licença maternidade com duração de oito (8) semanas. Para iniciar essa licença, a funcionária precisa fornecer um atestado médico que confirme sua gravidez e a data prevista para o parto. A licença-maternidade é dividida em duas partes: uma licença pré-natal de quatro (4) semanas e uma licença pós-natal de quatro (4) semanas.

Saiba mais sobre as leis trabalhistas em Porto Rico

Previdência Social

Porto Rico opera no âmbito do sistema de seguridade social dos EUA, o que faz com que os empregadores e funcionários porto-riquenhos estejam sujeitos às exigências dos impostos da Seguridade Social e do Medicare dos EUA.

O Federal Insurance Contributions Act (FICA) rege a imposição do imposto de seguridade social sobre os salários individuais dos funcionários, com o objetivo de apoiar os benefícios de aposentadoria oferecidos pelo governo federal. O FICA impõe dois impostos distintos:

  • Seguro de velhice, sobrevivência e invalidez (OASDI)
  • Seguro hospitalar (Medicare)

A partir de 2019, o imposto OASDI é cobrado a uma taxa de 6,2% para o empregado e o empregador sobre os primeiros US$ 132.900 de renda. O imposto do Medicare, por outro lado, é aplicado a uma alíquota de 1,45% para o empregado e o empregador, sem qualquer teto de renda. Notavelmente, os funcionários de alta renda, e não seus empregadores, são obrigados a pagar um imposto adicional de 0,9% sobre o Medicare.

Os limites de renda específicos para esse imposto adicional do Medicare diferem de acordo com o status do registro. As pessoas casadas que entram com ações conjuntas estão sujeitas ao imposto extra sobre rendimentos combinados que excedam US$ 250.000. Os contribuintes solteiros e os chefes de família são afetados quando os ganhos excedem US$ 200.000, enquanto os indivíduos casados que declaram separadamente são afetados por ganhos superiores a US$ 125.000. O cálculo inclui a renda de trabalho autônomo para determinar o limite.

O imposto FICA é aplicável à remuneração por serviços prestados nos Estados Unidos, independentemente da nacionalidade ou residência do empregado ou do empregador. Consequentemente, a menos que estejam isentos, os funcionários estrangeiros não residentes que trabalham nos Estados Unidos estão sujeitos ao imposto FICA, mesmo que estejam isentos do imposto de renda dos EUA com base em regulamentos estatutários ou tratados de imposto de renda.

Certos grupos estão isentos do imposto FICA, incluindo funcionários de governos estrangeiros, visitantes de intercâmbio com vistos J nos Estados Unidos, estudantes estrangeiros com vistos F, M ou Q e indivíduos cobertos por acordos de totalização de seguridade social entre os Estados Unidos e outras nações. Esses acordos permitem que indivíduos qualificados continuem contribuindo para os sistemas de seguridade social de seus países de origem, geralmente por até cinco anos.

Perguntas frequentes sobre as leis trabalhistas em Porto Rico

Em nossa experiência, essas são as perguntas comuns e os pontos de dúvida de nossos clientes.

1. Quais são as leis trabalhistas em Porto Rico?

A legislação trabalhista em Porto Rico é regida pela legislação trabalhista dos EUA e pela Constituição de Porto Rico. Essas leis protegem os direitos dos funcionários, incluindo o direito de escolher sua ocupação, receber um salário mínimo razoável, trabalhar em um dia de trabalho regular de não mais que oito horas e receber compensação por horas extras por qualquer trabalho feito além das oito horas.

2. Quais são as condições de trabalho em Porto Rico?

As condições de trabalho em Porto Rico são altamente regulamentadas pelas leis trabalhistas. Os funcionários não isentos têm um turno de trabalho regular de 8 horas por dia e uma semana de trabalho de 40 horas por semana. As leis trabalhistas de Porto Rico relativas a horas extras são mais favoráveis aos trabalhadores em comparação com as leis federais sobre horas extras. O salário mínimo em Porto Rico aumentou para US$ 9,50 por hora em 1º de julho de 2023. Porto Rico não é uma jurisdição de “emprego à vontade”, e os funcionários que são dispensados sem justa causa têm direito a receber uma indenização por dispensa legal.

Além disso, Porto Rico tem leis específicas sobre trabalho infantil, limitando as horas de trabalho e as ocupações para indivíduos com menos de 18 anos de idade. A Constituição de Porto Rico também estabelece direitos como o direito à privacidade. Além disso, há vários tipos de licença e proteções contra discriminação previstas em leis estatutárias. É importante observar que, como um território não incorporado dos Estados Unidos, as leis federais de trabalho e emprego também se aplicam em Porto Rico.

3. Quantas horas há em um dia de trabalho padrão em Porto Rico?

Os funcionários não isentos em Porto Rico normalmente trabalham 8 horas por dia e têm uma semana de trabalho padrão de 40 horas.

4. Qual é o salário mínimo em Porto Rico?

O salário mínimo em Porto Rico é de US$ 9,50/hora em julho de 2023, superior ao salário mínimo federal de US$ 7,25. Os trabalhadores de Porto Rico têm direito a receber o salário mínimo estadual mais alto.

5. Como as horas extras são pagas em Porto Rico?

Em Porto Rico, as horas extras são pagas na proporção de uma hora e meia da taxa horária regular para todas as horas trabalhadas acima de 8 horas por dia. Além disso, o dobro do tempo é pago nos dias legais de descanso e pelas horas trabalhadas acima de 40 por semana.

6. Quais são as leis referentes à rescisão de contrato de trabalho em Porto Rico?

A rescisão de contrato de trabalho em Porto Rico é regida pelas leis trabalhistas. Os funcionários contratados por tempo indeterminado só podem ser demitidos por “justa causa”, excluindo os funcionários em estágio probatório. Se um funcionário for demitido sem justa causa, ele terá direito a uma indenização com base em seu tempo de serviço e em uma fórmula legal. O pagamento da indenização é limitado a nove meses e é calculado como três meses de salário mais duas semanas de salário para cada ano de serviço. O pagamento da indenização é isento de impostos até o valor legal, sendo que qualquer excesso está sujeito a tributação. Porto Rico não tem uma lei WARN local, mas a Lei WARN federal dos EUA se aplica em Porto Rico para demissões em massa, que podem incluir pagamento em vez de aviso prévio em determinadas situações.

7. Quais são os requisitos para demitir um funcionário em Porto Rico?

Para demitir um funcionário em Porto Rico, é importante ter a documentação adequada e completa para comprovar quaisquer reclamações ou violações relatadas. Se o problema estiver relacionado ao desempenho do funcionário, a documentação poderá incluir relatórios de erros ou resultados de avaliações periódicas.

8. O que acontece quando um funcionário se demite em Porto Rico?

Ao se demitir, o indivíduo está qualificado para receber seu último pagamento, que coincidirá com o próximo ciclo regular da folha de pagamento da empresa. Além disso, o último pagamento incluirá todos os dias de férias acumulados. Entretanto, é importante observar que os dias de doença acumulados não são compensados no caso de demissão de um funcionário.

Biz Latin Hub pode ajudar com seu negócio em Porto Rico

Na Biz Latin Hub, temos uma equipe dedicada de especialistas prontos para oferecer soluções personalizadas que atendam às suas necessidades comerciais exclusivas em Porto Rico.

Com nossos amplos serviços jurídicos, contábeis e de back-office, atuamos como seu principal ponto de contato, simplificando e acelerando sua entrada no mercado porto-riquenho.

Fale com nossa equipe de especialistas locais hoje mesmo sobre oportunidades de negócios em Porto Rico, formação de empresas e a melhor forma de entrar nesse mercado da América Latina.

Se você achou útil este artigo sobre Leis Trabalhistas em Porto Rico, explore o restante de nossa cobertura da região. Além disso, você pode saber mais sobre nossa equipe e autores especialistas aqui.

Nossos serviços oferecidos no Biz Latin Hub
As informações fornecidas aqui não devem ser interpretadas como orientação ou aconselhamento formal. Consulte um profissional para sua situação específica. As informações fornecidas são apenas para fins informativos e podem não abranger todas as leis, padrões e práticas recomendadas pertinentes. O cenário regulatório está em constante evolução; as informações mencionadas podem estar desatualizadas e/ou podem sofrer alterações. As interpretações apresentadas não são oficiais. Algumas seções baseiam-se nas interpretações ou pontos de vista de autoridades relevantes, mas não podemos garantir que essas perspectivas serão apoiadas em todos os ambientes profissionais.
Craig Dempsey
Craig Dempsey

Craig é um profissional de negócios experiente na América Latina. Ele é o Diretor Geral e Co-Fundador do Grupo Biz Latin Hub que é especializado na entrada no mercado de fornecimento e serviços de back office. Craig é formado em Engenharia Mecânica, com honras e mestrado em Gerenciamento de Projetos pela Universidade de Nova Gales do Sul (University of New South Wales).

Craig é também um veterano militar, tendo servido no exército australiano em numerosas missões no exterior e também um ex-executivo de mineração com experiência em várias jurisdições estrangeiras, incluindo, Canadá, Austrália, Peru e Colômbia.

Receba as últimas notícias e conselhos sobre como expandir seus negócios globalmente
Assine a nossa newsletter para receber as últimas notícias e conselhos de negócios sobre formação de entidades, conformidade de entidades legais, contabilidade, back-office e requisitos fiscais.

Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.