3 Startups Brasileiras para Observar em 2021

Diante das consequências sociais e econômicas geradas pela pandemia de COVID-19, o setor de tecnologia bem desenvolvido do Brasil promete desempenhar um papel vital na regeneração econômica. Enquanto muitas empresas no país enfrentaram dificuldades severas e outras foram forçadas a fechar permanentemente, algumas startups, especialmente as do setor de tecnologia, se ajustaram à ‘nova normalidade’ das condições de negócios afetadas pela pandemia e espera-se que cresçam nos próximos anos. Aqui destacamos três startups brasileiras para observar em 2021.

Com um produto interno bruto (PIB-PPP) de cerca de US$ 3,46 trilhões em 2019, o Brasil é de longe a maior economia da América Latina e a oitava maior do mundo. O país, conhecido como o ‘gigante sul-americano’, foi o quarto maior receptor de investimento estrangeiro direto (IED) em 2019, alcançando entradas de US$ 75 bilhões, de acordo com a Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD).

O Brasil é a oitava maior economia do mundo

O Brasil historicamente desfrutou de um ambiente politicamente estável e relações amigáveis com os Estados Unidos e a União Europeia, contribuindo para sua popularidade como destino de investimento. Além disso, o Banco Central do país diminuiu sua taxa de juros oficial para 2%, como parte de uma estratégia para impulsionar o investimento estrangeiro e promover a reativação econômica.

Além disso, a nação sul-americana é o maior e mais populoso país da América do Sul, com uma população de 182 milhões de pessoas, e compartilha fronteiras com muitos dos principais mercados da América Latina. O Brasil também é membro fundador do Mercado Comum do Sul (Mercosul), um bloco econômico que engloba Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai.

Se você está considerando fazer negócios no Brasil, aprender sobre as três startups brasileiras que crescerão após a pandemia de COVID-19 pode fornecer ideias valiosas sobre seu próprio empreendimento empresarial e como garantir o sucesso de suas operações durante esses tempos desafiadores.

YouTube video

O impacto da pandemia nos negócios no Brasil

Com mais de sete milhões de infecções por COVID-19 até dezembro de 2020, o Brasil é o terceiro país mais afetado do mundo pelo vírus. De acordo com uma pesquisa com 1.700 empresários realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) do Brasil durante o primeiro semestre de 2020, 76% das empresas do setor industrial no Brasil foram obrigadas a reduzir ou paralisar completamente suas operações devido às restrições impostas pelas autoridades de saúde para dificultar a propagação do vírus.

A CNI também revelou que três em cada quatro empresas locais relataram uma forte queda na demanda por seus produtos. Além disso, metade das empresas afirmou ter implementado estratégias para reduzir o valor de sua folha de pagamento, 16% das organizações pesquisadas iniciaram férias coletivas, 15% demitiram grande parte de seus funcionários e 8% suspenderam temporariamente múltiplos contratos de trabalho.

Além disso, segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI), devido à crise econômica e social, é esperada uma queda geral do PIB de 5,3% em 2020. De acordo com Silvia Mattos, coordenadora do boletim Relatório Macroeconômico da Fundação Getulio Vargas, a taxa de desemprego no Brasil causada pela pandemia pode se tornar a pior desde a década de 1980, alcançando um índice de 18,7% até o final do ano.

Os setores econômicos mais afetados pela pandemia no Brasil incluem o comércio, construção, serviços domésticos, alojamento e alimentação, que para o mês de abril relataram demissões em massa.

Startups brasileiras e indústrias que viram crescimento durante a pandemia

Apesar da crise, setores como o comércio eletrônico conseguiram crescer durante a pandemia e alcançar um número recorde de vendas. De acordo com um estudo publicado pela Nielsen-EBIT, durante os primeiros seis meses do ano, as receitas do comércio eletrônico no Brasil cresceram 47%, com lucros próximos a US$ 90 milhões, a maior cifra relatada em 20 anos. Além disso, as compras feitas por meio de plataformas de comércio eletrônico aumentaram 39% e quase 7,7 milhões de brasileiros compraram online pela primeira vez, elevando o número de compradores eletrônicos para 41 milhões de pessoas.

De acordo com Felipe Gonçalves, country manager no Brasil da empresa de pagamentos online PayU:

“Nos últimos meses, devido ao estado de emergência, o varejo enfrentou mudanças importantes nos hábitos do consumidor. Uma delas foi uma forte migração para o comércio eletrônico, que vem registrando crescimento positivo, permitindo que milhares de empresas mantenham a continuidade de seus negócios com conforto, segurança e credibilidade no ambiente virtual.”

E-commerce revenues in Brazil grew 47%

Alguns dos setores econômicos que registraram mais vendas por meio de plataformas de comércio eletrônico entre janeiro e junho de 2020 foram o setor de moda, que registrou um aumento de vendas de 100% em comparação com 2019; o setor de produtos para o lar, cujas vendas aumentaram 200% após maio; serviços de streaming, impulsionados pela quarentena e que alcançaram um crescimento mensal de 100% em comparação com 2019; e o setor de telecomunicações, que se tornou mais essencial para a vida profissional e pessoal das pessoas no Brasil.

3 Startups Brasileiras para Observar

As seguintes startups no Brasil cresceram durante a pandemia e devem continuar em suas trajetórias ascendentes em 2021:

QuintoAndar: uma startup imobiliária digital no Brasil

QuintoAndar é uma empresa imobiliária digital fundada em 2003, que visa facilitar o aluguel de casas e quartos de forma rápida e segura com o uso de tecnologia. O que é inovador nesta plataforma é que todo o processo de locação é feito virtualmente. Isso inclui registro de propriedade, agendamento de visitas e assinatura de contratos de qualquer lugar do mundo. Em 2019, o QuintoAndar foi listado como um dos unicórnios entre as startups no Brasil, com uma equipe de mais de 1.000 funcionários.

Como parte de sua abordagem de negócios, o QuintoAndar desenvolveu um método de análise de crédito que evita a necessidade de fiadores, depósitos e seguro fiança. A startup, fundada por Gabriel Braga e André Penha, acumulou um total de US$ 345 milhões em investimentos, incluindo de grandes investidores internacionais como General Atlantic, Kaszek e Softbank, este último anunciando recentemente um investimento de US$ 600 milhões.

Shawee: uma startup focada em capital humano no Brasil

Fundada em 2017 e vencedora do Prêmio Startup Awards de 2020 na categoria Startup do Ano, a Shawee é uma plataforma online que busca aplicar a “metodologia hackathon” para tornar as “maratonas de codificação” úteis para os processos de recrutamento de novos talentos. O objetivo dessas “maratonas de codificação” é identificar, desenvolver e reter o melhor capital humano para empresas no Brasil. Além disso, também é uma maneira de aumentar a percepção positiva de uma organização, impulsionando a criatividade entre os futuros funcionários.

A Shawee busca transformar os processos de recrutamento e contratação de empresas, usando tecnologia e inovação para atrair participantes para seus eventos. De acordo com a startup brasileira, nos últimos três anos, eles conseguiram impactar mais de 40.000 pessoas e contribuir para erradicar a pobreza, aumentar a qualidade da educação por meio da tecnologia, garantir a igualdade de gênero e reduzir a desigualdade gerando mais empregos.

Menu: uma startup de comércio de alimentos no Brasil

Esta startup foi fundada em 2017 e faz parte do grupo Ab Inbev. Menu é a primeira e maior plataforma de mercado para comércio de alimentos, que tem como objetivo conectar distribuidores e atacadistas com restaurantes de uma forma mais simplificada.

Desde 2016, o Menu transformou o mercado de serviços de alimentação brasileiro, favorecendo as vendas no varejo local, especialmente durante os meses mais difíceis da pandemia. Até o momento, o Menu oferece mais de 30.000 produtos em sua plataforma, que abastece milhares de estabelecimentos locais em estados importantes para a economia brasileira, como São Paulo e Rio de Janeiro.

A Biz Latin Hub pode apoiar sua startup brasileira

Na Biz Latin Hub, nossa equipe de especialistas experientes em entrada no mercado está preparada para ajudá-lo a ingressar no mercado brasileiro e aproveitar a vibrante cena tecnológica do país. Com nossa ampla gama de serviços legais corporativos e de back-office, nossa equipe multilíngue está preparada para entregar excelência e garantir o sucesso da sua expansão comercial no país.

Entre em contato conosco hoje para discutir a assistência de que você precisa.

Saiba mais sobre nossa equipe e autores especializados.

Um infográfico da BLH mostrando os principais serviços oferecidos pela empresa
Principais serviços oferecidos pela Biz Latin Hub
As informações fornecidas aqui não devem ser interpretadas como orientação ou aconselhamento formal. Consulte um profissional para sua situação específica. As informações fornecidas são apenas para fins informativos e podem não abranger todas as leis, padrões e práticas recomendadas pertinentes. O cenário regulatório está em constante evolução; as informações mencionadas podem estar desatualizadas e/ou podem sofrer alterações. As interpretações apresentadas não são oficiais. Algumas seções baseiam-se nas interpretações ou pontos de vista de autoridades relevantes, mas não podemos garantir que essas perspectivas serão apoiadas em todos os ambientes profissionais.
Craig Dempsey

Craig Dempsey

Craig é um profissional de negócios experiente na América Latina. Ele é o Diretor Geral e Co-Fundador do Grupo Biz Latin Hub que é especializado na entrada no mercado de fornecimento e serviços de back office. Craig é formado em Engenharia Mecânica, com honras e mestrado em Gerenciamento de Projetos pela Universidade de Nova Gales do Sul (University of New South Wales).

Craig é também um veterano militar, tendo servido no exército australiano em numerosas missões no exterior e também um ex-executivo de mineração com experiência em várias jurisdições estrangeiras, incluindo, Canadá, Austrália, Peru e Colômbia.

Receba as últimas notícias e conselhos sobre como expandir seus negócios globalmente
Assine a nossa newsletter para receber as últimas notícias e conselhos de negócios sobre formação de entidades, conformidade de entidades legais, contabilidade, back-office e requisitos fiscais.

Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.